h1

Brasil inicia testes de turbina para aeronave hipersônica

23 de março de 2010

Brasil inicia testes de turbina para aeronave hipersônica

Lucas K. Oliveira

É inegável o papel do desenvolvimento tecnológico de ponta para o desenvolvimento econômico e social de um país. No caso dos setores de energia e transportes, o desenvolvimento de novos motores é fundamental para viabilizar novos emprendimentos com menores custos econômicos, sociais e ambientais. O Brasil está dando mais um passo em direção ao desenvolvimento de turbinas, desta vez, no desenvolvimento de turbinas “scramjet” para aeronaves hipersônicas. Estas aeronaves podem ser, em um futuro próximo, o meio mais barato e eficiente de  sair da atmosfera terrestre e chegar ao espaço, permitindo lançar satélites a custos bem menores do que os atuais.

Considerando que o espaço sideral possui fontes infinitas de energia, a exploração espacial pode, no futuro, resolver ao menos em partes os problemas de escassez relativa de recursos energéticos na Terra. A exploração espacial, portanto, apresenta-se como uma das áreas mais estratégicas para o desenvolvimento de novas tecnologias nos setores de transporte e energia da atualidade.

Nas próximas décadas assistiremos à grandes mudanças na forma como atualmente são desenvolvidas e utilizadas as tecnologias espaciais. Este período, que provavelmente se estenderá ao longo de um período de algumas décadas deverá ser bastante conturbado, já que ocorrem simultâneamente redefinições importantes no Sistema Internacional, na correlação de forças internacionais e nas relações entre as grandes potências, tendo como “pano de fundo” uma profunda, porém lenta transição energética para um novo paradigma de matriz enrgética, diferenter da atual.  TUdo indica que os países que liderarem os processos de inovação tecnológica e de desenvolvimento produtivo nas áreas  da economia e da indústria correlatas à de expoloração espacial (com as citadas inovações nas áreas de energia, transportes e comunicações), se tornarão pólos de poder significativos no Sistema Internacional. Se estes países ou blocos de países serão algo similar ao que clamamos hoje de “grandes potências” é difícil prever. Mas se esta categoria de países continuar existindo na segunda metade do século XXI, provavelmente terá como um dos critérios centrais a capacidade destas nações de atuarem no espaço.

Por isso, indicamos aos nossos leitores que atentem para as inovações tecnológicas nesta área – da exploração espacial -, onde possivelmente veremos o surgimento de novos motores, novas tecnologias e novos materiais com grande potencial para impactar significativamente a matriz energética global neste século.

A notícia postada a seguir, do CTA, descreve o desenvolvimento tecnológico de um dos novos motores que deve revolucionar o que entendemos hoje por transporte aéreo e aerospacial.

________________________________

22/03/2010

IEAv apresenta o motor do Veículo Hipersônico 14X

http://www.cta.br/

No início de março de 2010, o Cel Eng Marco Antonio Sala Minucci, Diretor do Instituto de Estudos Avançados, apresentou ao Ten Brig Ar Cleonilson Nicácio Silva, Diretor-Geral do DCTA, o motor “scramjet” que será integrado, em futuro próximo, ao Veículo Hipersônico 14-X.

O 14-X, concebido, em meados de 2005, pelo Cel Marco Antonio e pelo Dr. Paulo Gilberto de Paula Toro, foi projetado, em 2006 pelo 1º Ten Eng Tiago Cavalcanti Rolim, pesquisador do IEAv. A aerodinâmica do Veículo Hipersônico 14-X, que incorpora as tecnologias “waverider” (que possibilita sustentação) e “scramjet” foi realizada experimentalmente no Túnel de Choque Hipersônico T3, do Laboratório de Aerotermodinâmica e Hipersônica Prof. Henry T. Nagamatsu (IEAv), com financiamento da FAPESP.

Um dos módulos do motor “scramjet” (primeiro a ser desenvolvido no Brasil), medindo cerca de 1,0 m de comprimento, foi projetado por Gabriela Silva Moura, doutoranda do ITA, e fabricado pela OxTig (Usinagem Industrial e Engenharia). Planeja-se instalar o módulo do motor “scramjet”, em junho de 2010, na seção de teste do Túnel de Choque Hipersônico T3, o qual possibilita simular as condições de pressão e temperatura, assim como de número de velocidade correspondentes ao vôo real do Veículo Hipersônico 14-X.

Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial – DCTA

http://www.cta.br/noticias/estrutura.php?id=93

3 comentários

  1. Tive a oportunidade de estudar motores a combustão e a reação, mas este modelo, realmente é muito interessante. Creio que Gabriela (projetista) deve ter se aprofundado muito sobre o estudo deste tipo de motor. Parabéns Gabriela. torço para que dê tudo certo, e consigamos entrar para o seleto grupo de paises fabricantes de motores a reação.


  2. este novo motor será o futuro. Se o Congresso roubar pouco, dá para investir nele e desenvolver tecnologias no Brasil. Se Deus é Brasileiro, que conserve a Dra. Gabriela e sua pesquisa.


  3. Estão de parabéns os pesquisadores brasileiros.
    Acho que um bom campo de estudo, estaria no motor de baixa pressão que chamam de pulsojet sem valvulas que na realidade contempla o principio do Scream e que pra mim já é o Sreamjet.
    Seu funcionamento esta baseado na diferença de pressão de 3 tubos de diâmetros e tamanhos variados.
    1 -Tubo de admissão
    2 -Tubo da câmara de combustão
    3 -Tubo de escapamento.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: