h1

Brasil tranquiliza o Paraguai em relação a exercícios militares

25 de novembro de 2009

Jornal Zero Hora

25 de novembro de 2009 | N° 16166

EXERCÍCIO MILITAR

Brasil tranquiliza os paraguaios

http://zerohora.clicrbs.com.br/

Ao comentar a preocupação paraguaia com a movimentação de 10 mil militares na Operação Laçador, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse ontem, na Capital, que não se trata de uma “provocação” ao país vizinho: – Não temos pretensão expansionista. Todas as questões de fronteira já foram resolvidas. Pelo contrário, estamos ajudando o Paraguai.

As especulações surgiram no país vizinho quando foi divulgado que o exercício militar previa a tomada de uma usina binacional, representada pela hidrelétrica de Itá, situada na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina.

Como coincidiu com o apagão que teve como centro problemas nas linhas de transmissão da usina hidrelétrica de Itaipu, de propriedade brasileira e paraguaia, a atividade envolvendo uma hidrelétrica despertou temores no governo do Paraguai, desconfiado de que o objetivo seria simular uma eventual tomada do local.

Concessões feitas ao país vizinho, como o financiamento de uma linha de transmissão de Itaipu a Assunção e a recuperação de blindados paraguaios são, para Jobim, indicativos de que a preocupação é infundada. Por outro lado, ele ressaltou que dentro do território brasileiro será feito qualquer tipo de exercício, sem interferência de outras nações. Jobim ainda deu a entender que o treinamento serve para mostrar ao mundo que o Brasil é soberano em suas decisões. Jobim defendeu ainda a realização de exercícios militares como forma de preparar o país para um eventual conflito.

– O Brasil não tem inimigos, mas tem de estar preparado – afirmou.

Acompanhado dos comandantes da Marinha, almirante-de-esquadra Júlio Soares de Moura Neto, do Exército, general-de-Exército Enzo Martins Peri, e da Força Aérea, tenente-brigadeiro-do-ar Juniti Saito, o ministro explicou por que o tema energético foi o escolhido para nortear os combates fictícios:

– O conflito, no mundo do futuro, é o conflito energético. A América do Sul é um grande produtor de energia, não só hidrocarboneto, mas também energias alternativas.

A Operação Laçador, que se encerra na sexta-feira, envolve homens e mulheres das três forças nos três Estados da Região Sul.

O custo da operação é de R$ 10 milhões, do orçamento do Ministério da Defesa.

http://zerohora.clicrbs.com.br/

One comment

  1. Acredito que foi um equívoco realizar exercícios militares desta envergadura, envolvendo regiões próximas à fronteira e não ter convidado oficialmente observadores militares do Paraguai.

    Se isto tivesse sido feito, evitaríamos esse tipo de “histeria” jornalística que se desenvolveu na imprensa paraguaia nestas últimas duas semanas. Criar suspeitas artificiais ou alimentar potenciais inimizades, com um povo-irmão de um país vizinho, é ruim para o Brasil. Inclusive, porque, no caso de um ataque de uma potência estrangeira ao Brasil, será fundamental contar com o apoio dos países vizinhos e amigos sul-americanos.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: